quinta-feira, 18 de abril de 2013

Sedimentologia - Aula 2 (Ciclo Sedimentar, Fácies Sedimentares, Principais Cenários da Existência do Grão)

Ciclo Sedimentar

Na escala da sedimentologia, o ciclo sedimentar é aquele que consta de fase de intemperismo, erosão, transporte, deposição e liquificação (tornar o sedimento mais consolidado).

A erosão é o nome dado aos processos naturais que levam a remoção dos detritos, formados pela meteorização. Esses processos são normalmente seguidos pelo transporte e quando a energia diminui ocorre a deposição. A erosão pode ser causada por 4 agentes principais:

1º Gravidade
2º Acção glacial
3º Água corrente
4º Vento

Neste processo os fenómenos repetem-se originando rochas sedimentares, o que completa o ciclo;

Fácies Sedimentares

O fácies sedimentar é definido como a soma de todas as características primárias  de uma área, numa secção estratigráfica local, cuja formação é o resultado de todos os fenómenos de deposição próprios de um ambiente e dos diversos processos que os caracterizam.

Portanto, um fácies sedimentar é constituído por um ou vários tipos de rochas sedimentares, que se relacionam tanto no sentido vertical como lateral de uma forma ordenada.

Indicadores Biológicos (Bioturbação, Fósseis)
Bioturbação
Fóssil

Fóssil

Indicadores Litológicos (Granulometria, Mineralogia)

Granulometria
Mineralogia


Indicadores Hidrodinámicos (Estratificação, acamamento)

Estratificação

As figuras apresentam os principais elementos que permitem definir um fácies sedimentar. Assim, um fácies é o produto do ambiente sedimentar que pode se constituir na unidade genética fundamental.

Distinguem-se 3 grandes grupos de fácies:

1º Fácies Marinhos
2º Fácies lagunais
3º Fácies continentais

Cada um desses grupos subdivide-se em microfácies ou macrofácies. Sobre a distribuição de fácies considera-se a influência de movimentos oscilatórios e corticais.

Esses movimentos podem ser:

a) Movimentos Transgressivos: que se explicam pelo avanço do mar para o continente, depositando materiais com características peculiares.

b) Movimentos Regressivos: que se traduzem no sentido inverso, aqui os materiais grosseiros ficam no meio continental e os finos recuam para o mar.

Uma transgressão chama-se também sequência positiva, e a regressão é uma sequência negativa.
A - Transgressão / B - Regressão

- Principais cenário da existência do grão.

- Conceitos de área-fonte, bacia sedimentar e nível de base.

A actuação do intemperismo é directamente proporcional ao tempo em superfície do grão e da matéria prima geológica em geral.

Assim o intemperismo é menos actuante nas partes mais abruptas da escarpa, onde os processos de remobilização dos produtos de alteração são acelerados pela intensa ação da gravidade.

O intemperismo é mais actuante no topo da serra e na planície litoral onde o baixo declive favorece a longa manutenção em superfície de solos e depósitos sedimentares.

O transporte denomina onde há remobilização sistemática de grão o que podemos chamar erosão. Isto implica uma distribuição geográfica recíproca entre intemperismo e erosão. A duração, intensidade e importância das fases ou regime hidrodinâmicas de transporte sedimentar depende da variação do relevo e das condições climáticas.

Clímas quentes e húmidos promovem desintegração e decomposição mais rapidamente do que os clímas frios ou áridos.

A influência do relevo esta no tempo de acção dos agentes intempéricos e de desgaste mecânico durante o transporte. Relevos muitos acidentados e abruptos favorecem curtas distâncias de transporte, bem como o soterramento rápido que reduz o contacto dos sedimentos com os agentes intempéricos.

Relevos suaves propiciam transporte contínuo e prolongado com longo tempo de acção dos agentes de intemperismo.

A deposição ocorre preferencialmente em algumas zonas da planície do litoral e em grande parte do oceano, embora possam existir pequenos depósitos ao longo das escarpas.
Temos assim quanto a relação intemperismo-erosão-deposição, três tipos de domínos geográfico:

1º Tipo O intemperismo predomina sobre a erosão e a deposição. Isto corresponde a zona do interior da serra num intervalo de tempo menor, incluindo também a planície litoral. Deve-se  lembrar que grandes partes das planícies do litoral encontram-se submersas, portanto com predomínio de processos deposicionais marinhos;

2º Tipo A erosão prevalece sobre o intemperismo e a deposição. Este domínio encontra-se na escarpa da serra. É por excelência o domínio de transporte sedimentar. O conjunto formado por estes dois primeiros é responsável pelo fornecimento de sedimentos para o mar. Por esta razão costuma-se chamar área-fonte e as rochas nelas existente chamam-se rochas-fontes. 

OBS: Neste sentido a rocha-fonte pode ser considerado um termo sinónimo de rocha mãe (rocha primária);

3º Tipo A deposição predomina sobre os demais processos, é o que ocorre hoje na bacia oceânico-submersa, e na praia abrange a planície litoral. Este domínio recebe o nome de bacia sedimentar. É de salientar também que a deposição pode ocorrer em rios, lagos, lagunas e campos de dunas existentes no continente. Deste modo a bacia sedimentar não implica obrigatoriamente bacia marinha.

O nível horizontal abaixo do qual a deposição predomina sobre a erosão e intemperismo e acima do qual a erosão e intemperismo predominam sobre a deposição, recebe o nome de nível de base de erosão, ou simplesmente nível de base.

Significado: esta denominação expressa o facto de que a erosão não pode actuar significativamente além deste nível.

Artigo editado por: Carlos Pimentel aos 18 de Dezembro 2013.